sexta-feira, dezembro 26, 2008

O Estado da Nação do Autocaravanismo: curto balanço do ano de 2008 e Projecto para 2009



Últimos dias do ano,
mais um elo dos anos de vida de todos nós.
Momento pois, de um curto balanço da Newsletter,

- o estado da Nação do Autocaravanismo,
e do Movimento Autocaravanista.


Introdução


Em síntese, o ano de 2008 foi o melhor ano de sempre para o progresso do Autocaravanismo Itinerante em Portugal, porque:


- Assistimos todos ao multiplicar de instalações adequadas ao estacionamento de autocaravanas, em especial promovidas por Câmaras Municipais, que permitem ir dotando o País de uma rede crescente de apoio ao autocaravanismo itinerante, especialmente no interior de Portugal, apetecível também por estrangeiros por portugueses e de que aqui se salientam e distinguem três exemplos: o caso de Pardilhó, de Torre de Moncorvo e o da Aldeia da Luz. Nesta rede distinguem-se também de anos anteriores, a Batalha, Abrantes, Mação e as estações de serviço para autocaravanas nas auto-estradas A2 (Almodovar), A8 (Óbidos) e A23 (Castelo Branco)

- Assistimos todos ao reconhecimento legal do direito dos autocaravanistas a fazerem campismo nos parques de campismo, e fora destes, nas áreas de serviço para campismo de autocaravanas.
Ou seja, as autocaravanas foram reconhecidas como uma forma idónea de alojamento turístico para fazer campismo, sem prejuizo do autocaravanismo itinerante poder estacionar e pernoitar livremente nos termos do respeito devido às leis e posturas municipais.

- Assistimos todos à importante consciencialização por parte de um organismo oficial, a CCRD do Algarve, a evidenciar a importância do autocaravanismo como forma de turismo ao ar livre de tipo itinerante, e ao início do diálogo adequado com os cidadãos, em termos legítimos e legais. E ao abrigo do Código do Procedimento Administrativo, foi permitido o direito de audição e participação da sociedade civil na elaboração da versão final de um relatório sobre autocaravanismo no Algarve.


- Assistimos todos ao despertar positivo da sociedade civil constituída pelo segmento dos autocaravanistas que integram, com uma pujança criadora e inovadora, novas formas de intervenção e de expressão, através de blogs, web sites e associações que permitirão à opinião pública em geral, e à especializada do jornalismo em especial, uma melhor percepção das realidades e potencialidades do autocaravanismo.

- Assistimos todos a estes propósitos, e à formação emergente de uma consciência crítica da opinião pública esclarecida maioritária, que começa a ser partilhada por autocaravanistas e decisores, de que o problema essencial que fica por resolver do autocaravanismo está nas três questões subsistentes:


- a) falta de lugares de estacionamento para paragens de curta duração adequados ao gabarito das autocaravanas, especialmente junto a centros urbanos, e locais de interesse histórico, cultural, ou paisagístico.

- b) inexistência de parkings, ou seja estacionamentos para mais longa duração de permanências de autocaravanas, em lugares adequados ao seu gabarito, mas limitados a 48h ou 72h, gratuitos ou pagos, e devidamente sinalizados.


- c) lacunas na construção, privada ou municipal, e de divulgação de estações de serviço para autocaravanas, gratuitas ou pagas, isoladas ou integradas em parques de estacionamento, e devidamente sinalizadas, com o pictograma das autocaravanas, a integrar no Código da Estrada.


2008 fica pois na história da evolução do Movimento do Autocaravanismo. Muitos aspectos positivos podem ser sublinhados, de um processo de crescimento que também exibiu alguns aspectos, "horribilis" e negativos, que bem podiam ter sido evitados.[1]


Draft de Relatório do ano 2008

O estado da Nação do Autocaravanismo e o Movimento Autocaravanista:


Um contributo de balanço de
Decarvalho


Limitamo-nos pois, a um contributo de registo observador, sereno, tranquilo, e tanto quanto possível, desapaixonado, dos aspectos mais relevantes:[2]


O primeiro ponto a anotar diz respeito aos conceitos.


Quanto à Nação do Autocaravanismo:
Nada melhor que uma metáfora simples.
É verdade que inovámos com a referência à ideia de Nação do Autocaravanismo. Com isso, pretendemos significar que o Mundo do Autocaravanismo não se esgota nos autocaravanistas.


Estes existem, e desenvolvem a sua actividade, com base em fabricantes e comerciantes que produzem e distribuiem as viaturas sem as quais não podem desenvolver o autocaravanismo. Que por sua vez, para circularem, necessitam de combustíveis, assitência técnica, inspecções, seguros...


Ou seja, há (tem de haver) um enquadramento legal e geral da actividade do autocaravanismo e uma pluralidade de agentes relevantes no Mundo do Autocaravanismo. Todas essas entidades constituem um arquipélado de "ilhas", uma das quais, a central, a do Movimento Autocaravanista, e na sua globalidade integram o que chamamos de Nação do Autocaravanismo.



Com uma visão mais alaragada ainda, poderá dizer-se que esta nação coexiste numa região dita do Turismo de Ar livre, com outras Nações vizinhas ( e porque não? amigas !) como será o caso do Montanhismo, do Todo o Terreno, do Cmapismo, do Ciclo Turismo, entre outras.


E todas estas Nações, e as diversas Regiões onde se implantam, constituiem o território do Turismo. O Autocaravanismo Itinerante, é pois tributário e simultanemante tem direitos de cidadania no Turismo.


O Autocaravanismo como Nação interage com outras Naçõ0es do Turismo de Ar Livre. Finalmente, a Nação do Autocaravanismo exige, para sua afirmação autónoma, de conciliar de forma criativa e genuina a interdependência dos seus vários componentes interdependentes do seu arquipélado.


Quanto às áreas de serviços, estacionamentos e estações de serviço.


Todos sabemos que as palavras não são unívocas, não tem um único significado, e assumem uma dimensão polissémica. Isto é, uma palavra pode ter conteúdos diversos, e por isso quando se trata de ser rigoroso, convém ter algum cuidado.


Ora, atá ao momento, em Portugal, as áreas de serviço constituiram um termo originário dos equipamentos e infraestruturas das auto-estradas. Depois, este conceito foi adapatado na sua utilização para referir várias realidades no mundo do autocaravanismo: parques de estacioanamento para autocaravanas, com ou sem pernoita possível, e com ou sem serviços (água. electricidade e saneamento). E sem disporem de sinalização legal por ausência de consagração do pictograma da autocaravana no Código da Estrada.


A recente portaria sobre campismo adoptou o termo áreas de serviço para autocaravanas para qualificar os mini parques de campismo onde as autocaravanas podem fazer campismo. Este conceito, agora legal, deve ser reduzido na sua aplicação.


Convém pois não aumentar a confusão, e utilizar outros termos, também com suporte legal, para significar as realidades relacionadas com o autocaravanismo itinerante, quando os utilizadores de autocaravnas não a utilizam na modalidade de campismo. Importa ainda remeter para o que se passa em Espanha numa situação similar, (acampadas é sinónimo de campismo) como se encontra e bem, descrito no forum Camping Car Portugal, com a pertinência, qualidade e isenção habitual da sua administração em:
http://www.campingcarportugal.com/forum/viewtopic.php?t=2448

Assim, propomos à apreciação pública, as expressões:

- parques de estacionamento para autocaravanas
- lugares para autocaravanas em parques de estacionamento
- estações de serviço para autocaravanas

Quanto ao Relatório:


Trata-se apenas de um primeiro contributo. Por isso lhe chamamos Draft. Óbvio que tem muitas lacunas, óbviamente que pode e deve ser completado, por exemplo com o recenseamento das novas infrestruturas de apoio ao autocaravanismo....e aqui propõe-se a medalha de ouro para o Munícipio de Abrantes! Espera-se que mais interessados metam construtivamente, mãos a obra. O Movimento Autocaravanista necessita da liderança da tomada de consciência colectiva de tudo o que lhe diga respeito, e não de caudilhos corrosivos e inibidores.



A linha de determinante a sublinhar, que marcou a Nação do Autocaravanismo em 2008, é a vaga de fundo de valores positivos que começa a ter contornos claros entre os autocaravanistas (não de bancada) empenhados no Movimento do Autocaravanismo, e verdadeiramente semoventes, que constituem a população principal da Nação do Autocaravanismo. Numa palavra, o pluralismo da consciência de uma atitude responsável de automobilistas de autocaravana, como turistas itinerantes, ganha terreno e direitos de cidadania!

E...sem esquecer também os outros participantes da Nação do Autocaravanismo, com iguais direitos de cidadania, ou seja, os segmentos do associativismo, dos comerciantes de serviços e de equipamento rolante, dos parques de campismo e das autoridades interlocutoras, co-relacionadas com o autocaravanismo, desde as policiais até as autárquicas, e às soberanas, os governantes e legisladores.

O CPA mantêm-se como o maior clube português do autocaravanismo,
sendo de saudar o aumento muito significativo do número de novos associados. Mas não é o único, devendo citar-se como outros clubes, a APANAT e agora, o surgimento a completar um panorama alargado, o CAN (norte) e o CAS, (oeste) e os Amigos do Centro (centro), havendo naturais rumores positivos sobre outros clubes de autocaravanistas em processo de constituição, formal ou informal, de base regional.

A direcção do CPA eleita em 2008, pelo seu lado, mantêm um forum aberto a sócios e não sócios, e aqui também, este local de encontro virtual dos autocaravanistas não está sozinho. Existem, além do forum mais antigo e quase inactivo do CAMPCAR, o do portal e projecto CCP- Camping Car Portugal, mais outros dois foruns emergentes de interesse geral, do Clube Campinanda e o Autocaravanismo.net, e outro de sector especializado, a Tribo das Estrelas, para além do recente forum regional dos Amigos do Centro, como aliás esta Newsletter tem divulgado. Há assim já sete foruns de autocaravanismo, e de portas abertas!

Neste particular há a lamentar o encerramento do forum do CPA em duas ocasiões, uma voluntária, e outra involuntária, para além da instabilidade do desempenho da função de moderador do forum.

Anota-se no caso dos foruns mais representativos – do CPA Clube de Autocaravanas de Portugal, e do CCP Camping Car Portugal, que cabe realçar a aproximação do diálogo entre as duas administrações, em tempos de costas voltadas.




Três indicadores positivos ficam aqui registados:

1)os votos de parabéns aos eleitos em 2008, para a Direcção do CPA, emitidos publicamente pelos responsáveis do forum CCP.

2) a adopção pelo CCP da sua vocação exclusiva pelo autocaravanismo, com natural alteração do respectivo logótipo. ( de onde foi eliminada a figura da caravana)

3) o lançamento em cooperação com a Associação ANIMAR, do projecto Portugal Tradicional, pelo CCP e com divulgação no CPA.

A par da existência de número crescente de sócios autocaravanistas em Clubes de Campismo e Caravanismo, sublinha-se entretanto, o interesse do
ACP- Automóvel Clube de Portugal, o maior clube de automobilistas de Portugal, em dedicar-se também ao autocaravanismo, e a promessa já concretizada, do alargamento da reconstituída secção de campismo e caravanismo ao autocaravanismo, com adopção de um logótipo específico, e que bem retrata uma autocaravana, pois este avanço é decerto já um contributo de relevo para o desenvolvimento do sector.
Na realidade, o ACP tem já mais de 1186 sócios autocaravanistas, que com os respectivos cônjuges e filhos, perfazem um total de cerca de 2413. Ou seja, provavelmente mais do que o CPA nesta contabilidade familiar.

Registe-se ainda, que na ausência de interesse do CPA em estabelecer um diálogo de cooperação com o ACP, tem sido o MIDAP –com a representatividade inegável da plataforma que constitui, e que lhe é já reconhecida legitimidade por entidades públicas e privadas, a desenvolver e aprofundar essa relação promissora. Sublinhe-se também, que o CAB igualmente contou no acto da sua constituição, com a assistência por uma delegada do ACP .

A par do ACP, regista-se também o interesse de outras entidades díspares, como por exemplo um inovador portal privado de Turismo e Cultura MYGUIDE, e a Revista de Turismo VIAJAR, que já admitiram neste ano de 2008, vir a estudar em 2009 (apesar da crise económico-financeira) contributos sobre o tema do Autocaravanismo, prevendo-se a possível edição de uma edição Nº 1 da Revista Viajar em Autocaravana por ocasião da Nauticampo.

Do lado da oferta, também há indícios de movimentações interessadas, estando em estudo uma plataforma tripartida que envolveria a ACAP, (Associação dos Comerciantes de Automóveis de Portugal) a AECAMP (Associação das Empresas de Parques de Campismo de Portugal) e a FPCM, (Federação Portuguesa de Campismo e Montanhismo) também orientada para se ocupar sobre os desafios do autocaravanismo.

Last but not the least, há a registar, apenas no segundo semestre, quatro iniciativas inovadoras:

1) a criação do MIDAP- Movimento Independente para Desenvolvimento do Au
tocaravanismo em Portugal.
(
www.midap.blogspot.com)
Constituído de forma mista por autocaravanistas e entidades do sector, apostados em contribuir de forma dedicada, e graciosa, a favor de uma plataforma com tudo quanto ajude ao desenvolvimento do sector, e assim, com a presença do Presidente do CPA e membros da administração do CCP já se realizaram varias reuniões internas de trabalho.

Também, para com o exterior há anotar contactos e reuniões com Câmaras Municipais, a GNR, PSP, ACP e ainda com o Instituto de Turismo de Portugal, bem como contactos já estabelecidos com o Presidente da Subcomissão Parlamentar de Turismo da Assembleia da República, e ainda com Câmaras Municipais.

De registar estar ainda em preparação, um seminário (ou Jornadas Técnicas) sobre autocaravanismo. Por outro lado, o MIDAP esteve presente na constituição do CAB. Evidentemente que a legitimidade da representatividade do MIDAP é inquestionável dada a sua natureza de única plataforma plural do sector.

2) a criação do CAB- Circulo de Autocaravanistas da Blogo-esfera,
(www.cab-circulo.blogspot.com)
Associação original, sem fins lucrativos, que reúne já de forma representativa, e de forma inédita bloguistas, e web masters de sites relativos ao autocaravanismo.

A assembleia de fundadores aderentes ao CAB adoptou uma declaração de princípios, incluindo as regras de comportamento do Respeito, e visa estreitar as relações entre este importante sector de autocaravanistas do domínio da comunicação social, o intercâmbio entre os produtores de conteúdos sobre autocaravanismo, e o desenvolvimento de iniciativas conjuntas.

Depois da adopção unânime, da Declaração de Alenquer, e do código de ética RESPEITO, o CAB projecta realizar a 31 de Janeiro na Batalha, mais uma sessão de estudo e trabalho, e uma visita cultural no são convívio dos seus membros que desenvolvem também a sua actividade de forma voluntária e gratuita.

Note-se que não entra quem quer no CAB, mas sim quem pode, e como tal for aceite de acordo com as regras do colectivo do circulo, e pela sua coordenação. O CAB só aceita plataformas de internet (blogs, web sites, foruns) que tratem o tema do autocaravanismo, e se enquadrem nos princípios da declaração de Alenquer, e por isso adoptem a declaração do Respeito nela contida, e disponivel no site do Circulo.

3) A continuação da preparação da criação do ONGAI- Observatório Não Governamental do Autocaravanismo Itinerante
(
www.ongai.observatorio.blogspot.com)

com o objectivo de reunir interlocutores do sector do autocaravanismo, quer isoladamente e a título individual, quer estejam já integrados em outras plataformas ou associações, e cuja sensibilidade, experiência, autoridade ou competências, possam contribuir para o desenvolvimento do Autocaravanismo Itinerante em Portugal.

4) A preparação inicial de um Anuário do Autocaravanismo Português,
(
http://anuarioautocaravanismo.blogspot.com/)
como referência de, e para todas as iniciativas válidas deste sector, e que se destina a ser uma base de informação e consulta em permanente evolução, e actualização, de modo a constituir um recurso espontâneo como banco de dados informal de acesso a todos os interessados.

Pelo seu lado, a Newsletter, para além do apoio a todas estas iniciativas, organizou o inédito I Concurso de textos de viagens em Autocaravana, e o seu gabinete de estudos produziu, colaborou e publicou textos de pareceres sobre legislação em preparação no domínio do turismo do espaço rural e do Campismo, bem como sobre o Relatório da CCDR do Algarve sobre Autocaravanismo.

Note-se mais uma vez, que na nova legislação de campismo, e de que resultou uma portaria, onde pela primeira vez utiliza a expressão autocaravanas, vem aplicar-se exclusivamente a estas, só e quando ligadas à actividade do campismo, ou nos parques de campismo, ou fora destes, nas áreas de serviço para campismo com autocaravanas, na terminologia legal. Não é pois necessário fomentar o alarme entre os autocaravanistas.

A Newsletter, por outro lado, também apoiou e participou voluntária, desinteressada e activamente no processo de formação do MIDAP, do CAB, do ONGAI e do Anuário de Autocaravanismo, bem como participou nas reuniões havidas com o ACP, e Turismo de Portugal, entre outras. Do mesmo modo, contribuiu discretamente, para a inclusão de um dos cinco destinos iniciais do projecto Portugal Tradicional acima mencionado, tendo divulgado de forma objectiva e isenta, todas as iniciativas válidas e sérias ocorridas (na ilha) no Movimento Autocaravanista integrada (no arquipélago) e na Nação do Autocaravanismo.

As notas menos positivas centram-se sobretudo nos factos seguintes:

1) De as autoridades soberanas (titulares do poder legislativo) não terem ainda legislado, nem sobre o favorecimento do estacionamento de veículos autocaravanas, nem sobre sinalética de interesse para o autocaravanismo, tendo-se assim verificado por parte da FPCM o registo de (marcas) com símbolos e logótipos, de forma privada, mas que constituem património de interesse e do domínio público a nível europeu, e por isso insusceptiveis de apropriação particular e exclusiva,

2) A existência de actuações de uma minoria de autocaravanistas, nacionais e estrangeiros, que utilizam as autocaravanas com desrespeito pelos códigos comportamentais do sector, geralmente utilizados e divulgados por todos os clubes de autocravanismo, e que deslustram e denigrem a imagem que a opinião pública poderá formar sobre os autocaravanistas em geral, facto este agravado por uma comunicação social pouco sensibilizada e sensacionalista.
Programa para 2009

Na Newsletter, sublinha-se, somos pelo direito ao Autocaravanismo itinerante, o que significa a lieberdade de usar o veículo autocaravana, como tal, em estacionamentos adequados, pontualmente ou de longa duraçao, inclusive para pernoita, ou como alojamento turístico em parques de campismo, ou nas futuras áreas de serviço para campismo com autocaravanas:

- Por isso, com a equipa de redacção e do gabinete de estudos, a Newsletter prosseguirá e apoiará a divulgação de todas as iniciativas, nacionais ou estrangeiras, que se relacionem com o autocaravanismo itinerante, e matérias conexas, sempre de forma positiva, contribuindo assim, de modo pró activo e construtivo, para a consolidação de uma consciência crítica, fundamentada, séria e informada sobre o sector, que potencie um maior envolvimento e cooperação de todos os genuínos interessados.

- Deste modo, a Newsletter, sem todavia se intrometer, estará sempre disponível para colaborar com o CPA, o CCP, o ACP, o MIDAP, o CAB, e bem como com as demais associações privadas, ou entidades públicas e que nisso possam ver interesse, actuando independente e autonomamente, como agente assessor ou catalizador, mas nunca com projectos de poder, ou pretensões de liderar processos de interesse para a causa pública.

Ou seja, na Newsletter não somos:

-nem pela unicidade do Movimento Autocaravanista, pois todas as regras unanimistas e absolutistas resvalam para o totalitarismo, negam a liberdade de expressão e assumem a manipulação e perversidade de modelos do passado de inspiração Gobeliana (repetição de mentiras até se converterem em aparência de verdades) e leninista, com as suas vanguardas auto-convencidas.

-nem pela unidade de direcção do Movimento do Autocaravanismo, sob uma só batuta, hegemónica, e dominante, que pode esconder e abafar tendências, que mesmo exprimeindo sensibilidades minoritárias, não devem ser desconsideradas num modelo qualitativo e participativo, e não apenas quantitativamente democrático. Ou seja, importa ter a força da razão, e não apenas a razão da força (incluindo a numérica)

- Na Newsletter, somos sim, pela União consensual de esforços plurais, pelo pluralismo de ideias convergentes, de ideais comuns, de partilha de contribuições, da inclusão de tendências, de complementaridades, e de especificidades, sob o maior denominador comum que é o do autocaravanismo itinerante, e do valor da livre escolha dos autocaravanistas pelo acolhimento ou em parques de campismo, ou em locais com estacionamentos adequados. A união permite manter autonomias do que une, sem as reduzir ao uno, ou unidade, caminho resvaladiço para a unicidade. A união como conceito de ciência política permite pois uma acção conjunta e eficaz, sem prejuizo das soberanias unidas, mas não unificadas. Onde e como? Pois num congresso nacional a agendar em tempo oportuno, e a preparar gradualmente

Desde sempre defendemos na Newsletter, e publicamente em foruns, esta visão de união, que exige uma estruturação, e uma institucionalização participativa muito séria para o sector, que no título deste contributo, identificamos como a Nação do Autocaravanismo integrando, como coluna vertebral, o Movimento Autocaravanista responsável, o que desde logo excede o simples conceito de autocaravanistas. Não são estes, os únicos a ter direitos de cidadania activa na sociedade plural relativa à Nação do Autocaravanismo. Mas são uma componente essencial para a União de esforços favoráveis a consolidação do Direito ao Autocaravanismo.

Para efeito de melhor pedagogia, retomam-se agora sugestões já apresentadas (pelo responsável da Newsletter, como sócio do CPA) pública e transparentemente, na altura, à Direcção do CPA, antes, durante e depois da assembleia geral de 16 de Fevereiro de 2008, referidas no forum do CPA, quando ainda se poderia admitir que este clube assumisse plenamente a quota-parte das suas actividades clubisticas relativas à sua vocação federativa:

1) Criação de um gabinete de estudos de apoio à direcção,

2) Criação de um observatório não governamental do autocaravanismo, aberto a todas as entidades, Interlocutores e autoridades de relevo para este sector,

3) Realização de mesas redondas curtas (1h) por ocasião das concentrações ou passeios do CPA ,

4) Divulgação de um código de etiqueta para o forum, e do moderador,

5) Mudança do logótipo do clube, para um mais moderno e institucional,

6) realização de jornadas de portas abertas nas delegações regionais,

7) preparação e realização do I Congresso Nacional do Autocaravanismo.

Mas, passados os 100 dias de graça, que a actual Direcção do Clube merecia, após a sua eleição, as respostas foram nulas, nem foi motivado o interesse dos associados no forum e na ausência de artigos de opinião no Boletim. Assim se justifica, que o dever e compromisso livremente assumido pelo responssável da Newsletter, de participação cívica, no exercício de um dever de cidadania e de responsabilidade social, se tivesse que desenvolver, e da mesma forma desinteressada e gratuita, em outras direcções.

Ora, não tendo sido ainda possível cooperar directamente com o CPA, e não sendo opção, por imperativo categórico e ético indeclinável, conspirar contra o CPA, a solução estava em desenvolver no exterior, com espontâneas boas vontades qualificadas, e inconformadas com a situação de crise evidente, evidenciada pela multiplicação de formas anónimas e agressivas de intervenção na Internet.
Por uma atitude pró activa, de vez e pela positiva, foi adoptada uma nova estratégia de apoio para uma clara e decidida estruturação e institucionalização dignificante do sector do Autocaravanismo, ainda durante o segundo semestre do ano. verificamos sem surpresa, que para este projecto não faltaram nem boas vontades, nem colaborações desinteressadas,voluntárias e gratuitamente.

A todos o meu Bem Hajam, aos que ajam por Bem.

Não obstante esse esforço, manteve-se a possível colaboração no forum do CPA, apesar do seu crescente desinteresse. Ficou pois claro, que encontrados novos interlocutores estratégicos intressados, estes quiseram em boa hora, assumir em mãos um trabalho áspero e gracioso, mas indispensável para consolidar uma atitude alicerçada com pensamento estratégico consistente, e que permitiu identificar uma percepção generalizada, exigente e coerente do autocaravanismo, como um sector relevante do turismo itinerante motorizado.

Felizmente, esse desiderato foi plenamente alcançado, e os resultados gratificantes ficam à vista de todos, com portas abertas, e acham-se registados com transparência patenteada neste relatório.

O eixo dinâmico e o epicentro de referência do Movimento do Autocaravanismo visa mais além, tem hoje um novo rosto estruturado, credível, reconhecido como tal, e embora jovem, já está prenhe de realizações e de projectos, com conciliação de motivações diversas nos seus suportes plurais, e por isso mesmo, com valor criativo, inovador, e com acrescentado factor representativo.

De facto:
- Não basta ter-se, quantitativamente, o maior clube de autocaravanas.
- É necessário ser, qualitativamente, a melhor estrutura Autocaravanista.

Por outro lado, há que elaborar prioridades e estabelecer patamares de programas e projectos a realizar, em função dos recursos existentes, e das potencialidades disponíveis:

Neste momento são estes desde já os nossos desafios de apoios inadiáveis expectáveis para 2009 !

1) A necessidade de apoio à formação e consolidação de novos clubes de autocaravanistas reunidos à volta de marcas (caso Aventure, e Tribo das Estrelas) ou de base regional (Amigos do Centro e CAS) ou ainda de natureza sectorial, de forma espontânea, ou pela via, desmultiplicada, se auto-consentida, pelos associados do CPA, caso entendam gerar novos clubes por destaque, e sub agrupamento dos seus associados, por exemplo, de base regional. Estas realidades já emergentes poderão ser a longo prazo, o substrato de uma possível e futura FATI-FEDERAÇAO DO AUTOCARAVANISMO de TURISMO ITINERANTE.

2) Criação e entrada em funcionamento gradual de um ONGAI - Observatório Não Governamental do Autocaravanismo Itinerante (está no programa do MIDAP, e o site foi criado)

3) O desenvolvimento, projecção e consolidação do MIDAP- Movimento Independente para Desenvolvimento do
Autocaravanismo em Portugal, como uma plataforma de união e cooperação de autocaravanistas e entidades interessadas e com intervenção no autocaravanismo, e onde se aguarda sempre a presença do CPA, muito especialmente no diálogo com as entidades oficiais. Designadamente, coadjuvaremos o MIDAP no diálogo ja encetado, com os poderes soberanos, com a Sucomissão Parlamentar do Turismo, com o Turismo de Portugal da Secretaria de Estado do Turismo, com a CCR do Algarve, e Câmaras Municipais.

4) A dinamização do CAB – Circulo de autocaravanistas de Blogo-esfera como uma rede representativa de plataformas de internet de produtores de conteudos de autocaravanismo, e de especial relação com a comunicação social.

5) Criação gradual de um Anuário do Autocaravanismo, on line, como banco de dados de actualizaçao permanente (site criado)

6) Apoio à organização de um Congresso do Direito ao Autocaravanismo Itinerante, como forma de Turismo de Ar Livre ( em estudo)

7) A manutenção de um Gabinete de Estudos inter-disciplinares, e a prática de funcionamento de grupos de trabalho informais, para a preparação séria de documentos e de estudos, que sirvam para apoio da reflexão dos temas do Autocaravanismo, em especial do direito ao autocaravanismo itinerante, e que a Neswletter continuará a apoiar.

Lisboa, no Solstício de Inverno, de Dezembro de 2008
Decarvalho
(simplesmente)

COPYRIGHT:
é autorizada a livre divulgação, total ou parcial deste texto, com menção da origem.
Não se referenciam situações da blogo-esfera, efémeras, e sem consistência, que não merecem essa importância, nem inarráveis posts em foruns, que apenas se servem do tema do autocaravanismo, para fomentarem a difusão obsessiva de injúrias e difamações, com provocações gratuitas e ataques pessoais compulsivos, ao bom nome de pessoas de bem. Estas atitudes não mereceram resposta, senão em sede de Justiça.
[2]
A Newsletter é um blog independente, de autor, (o mais lido da blogo-esfera com mais de 120.000 visitas reais,-cerca de 48.000 só desde 11 de Abril de 2008), e que tem o patrocínio do Alenquer Camping, como é publicamente mencionado na respectiva web page. Este facto em nada compromete a autonomia da opinião e informação divulgadas, tanto mais que o Parque de Campismo de Alenquer é o único camping privado a manter um protocolo com o CPA- Clube de Autocaravanas de Portugal. Assim está acessível, desde Janeiro de 2007, aos autocaravanistas itinerantes para utilizarem a sua estação de serviço, sem necessidade de acamparem, (na zona reservada ao campismo) ou sequer estacionarem para pernoita (na plataforma reservada ao autocaravanismo itinerante). Sobre a certificação da área de apoio aos autocaravanistas deste Camping pelo CPA, veja-se o artigo no fórum deste Clube em:
http://cpa-autocaravanas.com/forum/index.php/topic,607.msg3618.html#msg3618

quarta-feira, dezembro 24, 2008

segunda-feira, dezembro 22, 2008

casal brasileiro relata viagens em autocaravana na America do Sul

Relatos de viagem de autocaravana em português do Brasil
Ver mais no blog: http://casalnaestrada2.blog.terra.com.br/
para introdução bastam estas 4 fotos de outros tantos momento da vida de um autocaravanista itinerante:
1) a estrada e a sinalização,
2) a gastronomia....
3) a paisagem !
4) a autocaravana...












Aqui fica um naco de prosa para abrir apetites...com frio a 22º !

Meio-dia, debaixo de muita chuva, deixamos São Luis para trás rumo a Caxias onde nossos amigos Cida e Eugenio nos aguardavam para nosso primeiro pernoite.
Alguns drinks, papo em dia, jantamos um galeto e vamos dormir que amanhã tem muito asfalto. Obrigado Cida e Eugenio e sucesso na cirurgia, meu irmão.
A chuva não deu trégua. Foi a noite toda e nos acompanhou durante o dia. Passando por Teresina-PI, encostamos na Autorizada Mercedes a fim de trocar o filtro de ar que não encontrei em São Luis. Surpresa... aqui também não tem.Ligamos para algumas casas de peças e nada. Seguimos viagem até a serra de Tianguá-CE.
Estacionamos ao lado da policia rodoviária e o policial gentilmente nos cedeu energia. Oficialmente é nossa primeira noite no MH. Comemoramos com um jantar de gala. Filé ao brie com polenta e trufas e um bom vinho. S U P I M P A. UM friozinho gostoso, 22 graus, dormimos feito pedra. Descemos a serra sob intensa neblina.
Viagem tranqüila. Entramos em Sobral atrás do filtro e nada também. Meio-dia chegamos em Fortaleza-CE. To ficando preocupado. Aqui também não tem o filtro de ar. Nosso destino era Guaramiranga, serra também, onde se realiza no período de carnaval um festival internacional de jazz.
O calor era intenso e calor combina com praia resolvemos então ficar em Fortaleza. Uma das vantagens de estar em um MH é ter a liberdade de mudar o itinerário a qualquer momento. Seguimos para a praia do futuro. Peixe frito, cerveja gelada, banho de mar...

domingo, dezembro 21, 2008

sexta-feira, dezembro 19, 2008

Mais um blog de autocaravanistas portugueses. Os Espirito Santo!







Acerca de nós
Os Espirito Santo
Braga, Minho, Portugal
Somos um casal que adoramos viajar na nossa autocaravana (Foca)

quinta-feira, dezembro 18, 2008

MIDAP cumpre programa e reune com responsáveis do Turismo de Portugal sobre Autocaravanismo


Comunicado do MIDAP

No dia 16 de Dezembro a pedido da direcção do MIDAP, foi recebida no Turismo de Portugal uma delegaçãodo Movimento, e de acordo com o seu programa de actividades do Movimento, foram expostas diversas questões e propostas elaboradas pelo respectivo gabinete de estudos com vista ao Desenvolvimento do Autocaravanismo em Portugal, como forma de turismo itinerante.

O Presidente da Direcção do Turismo de Portugal, Dr. Luis Patrão mandatou já dois colaboradores superiores deste departamento de Estado, integrado na Secretaria de Estado de Turismo, para acompanhamento do tema do autocaravanismo numa reunião de trabalho que teve resultados muito positivos, para todos aqueles que se interessam por um desenvolvimento sustentado e responsável desta forma de turismo itinerante auto-transportado.

Concretamente estas questões foram confiadas no Instituto, ao âmbito da Direcção de do Desenvolvimento de Produtos e Destinos a que compete assegurar a execução da estratégia definida nesta área, criando condições para o desenvolvimento estruturado de produtos e destinos turísticos, através do conhecimento aprofundado da sua realidade e da definição de acções determinantes da sua qualificação, em ligação com agentes públicos e privados relevantes e em conjugação com as restantes áreas do organismo.

Neste contexto, foi sublinhado o entendimento aliás maioritário no sector, de que a recente legislação sobre turismo do espaço rural e a portaria sobre parques de campismo apenas se aplica as autocaravanas se e quando usadas como alojamento em campismo, e não em autocaravanismo itinerante.


Deste modo, a actividade do autocaravanismo que não implique a pratica de campismo continua, do ponto de vista oficial, livre e desregulamentada, sujeitando-se apenas à legislação genérica, designadamente ao código da estrada, e demais diplomas do domínio do ordenamento do território e ambiental e ainda às posturas municipais.

Assim, foram trocadas extensas impressões sobre a importância do turismo em autocaravana, como factor de desenvolvimento do turismo nacional e de importação, pelo incremento do autocaravanismo itinerante ao longo de todo o ano, e por todo o País, incluindo o seu interior, tendo sido registada a experiência do projecto Portugal Tradicional, já em desenvolvimento pelo portal Camping Car Portugal e pela Associção ANIMAR.

Por outro lado, foi referenciada a necessidade de se multiplicarem nos parques de estacionamento, existentes ou a construir, quer urbanos, quer de interior ou no litoral, junto a monumentos, parques naturais ou locais de interesse paisagistico, a reserva de alguns lugares de estacionamento adequados ao gabarito e manobra das autocaravanas do turistas itinerantes.

Suscitou-se também a necessidade destes estacionamentos, que deverão ter dimensão suficiente, servirem quer para paragens de curta duração, (visitas episódicas) quer para o estacionamento que admita a pernoita, mas sem implicar que se exceda o espaço do estacionamento, e por períodos de tempo que no estrangeiro em norma não podem exceder as 48h ou 72h.

Foram ainda na ocasião dados exemplos pelo MIDAP das experiências espanhola e francesa, muitas de iniciativa e responsabilidade municipal, em especial relativas a parques de estacionamento especializados e exclusivos para autocaravanas, mas sem todavia favorecer a desaconselhável concentração massiva de veículos, alguns dotados com estações de serviço de apoio (agua, electricidade e saneamento), quer gratuitos, quer pagos.

Para que estas situações pudessem ter um seguimento e enquadramento favorável, foi sugerido pelo MIDAP a introdução de sinalização rodoviária adequada, e a inclusão sinalética na legislação e regulamentos ao Código da Estrda, com o pictograma da autocaravana, aliás à semelhança do que já se passa com outras categorias de veiculos como é o caso entre outros, dos veiculos pesados, autocarros de turismo, duas rodas e deficientes.

A Direcção do MIDAP

Nota: Durante a reunião foram tiradas fotografias, devidamente autorizadas para documentar o evento, de que se junta uma imagem, cuja divulgação foi solicitada e autorizada

quarta-feira, dezembro 17, 2008

Autocaravanismo itinerante e genuino no Portugal Tradicional genuino...



Todos os leitores habituais deste Blog estão cansados de saber o que é o autcaravanismo:


Turismo itinerante motorizado que utiliza ou não parques de campismo para pernoita. Ou seja, em que os automobilistas usando um veiculo especial denominado autocaravana, com condições auto-suficientes de habitabilidade e higiene, se deslocam e estacionam em percursos de lazer e turismo cultural, respeitando as regras do código da estrada, regulamentos municipais de trânsito, demais leis e regulamentos de parques de campismo só e quando utilizam voluntáriamente, estas instalações.

Todos os leitores habituais deste blog, também sabem que fazemos aqui a apologia das regras da civilidade, e da boa prática do autocaravanismo, que divulgamos, e que resultam também da nossa atitude de lobbying favorável ao desenvolvimento de uma comunidade consciente e responsavel, como é evidente pelo nosso apoio ao MIDAP, - Movimento Independente para Desenvolvimento do Autocaravanismo em Portugal, e do CAB - Circulo de Autocaravanistas da Blogo-esfera, que ajudámos a fundar.

Como também e naturalmente, adoptamos os codigos de ética do CPA e do CCP.

Assim, é com gosto que divulgamos o recente portal do Portugal Tradicional e Genuino, apoiudao pelo porjecto CCP e que permite portanto, mais oportunidades de autocaravanismo itinerante português e estrangeiro, mas genuino...

http://www.tradicional.campingcarportugal.com/

NOTAS:

Do lado do Visitante (autocaravanista)
- Deve sentir-se como um convidado pelos proprietários dos locais tradicionais e não como um cliente de um camping ou Área de Serviço.
- Ao chegar aos locais Portugal Tradicional deve solicitar autorização antes de estacionar. Deve ser amável e à saída deve agradecer o convite.
- A sua chegada deverá coincidir com os horários diurnos de trabalho, e nunca durante a noite ou madrugada.
- Não deve interferir nas actividades diárias que se desenvolvem no local, logo deverá estacionar apenas nos locais indicados pelo anfitrião.
- Os locais de visita não estão, normalmente, equipados com locais dedicados ao despejo e abastecimento de águas. Antes da viagem, deve certificar-se de que tem o depósito de água potável atestado e os de águas residuais vazios.
- Não deve utilizar grelhas para despejo de águas, sem a indicação dos proprietários.
- Não fazer lume ou foguear.
- Apenas deve libertar animais de companhia após a respectiva autorização.
- Se viajar com crianças, deve estar atento às suas brincadeiras, evitando acidentes desnecessários.
- Utilize o bom-senso, não se desloque a um anfitrião cujo produto ou área de actuação não sejam do seu agrado, evitando assim ferir susceptibilidades.
- Deve evitar o ruído para o exterior, principalmente à noite, tendo em atenção que, em muitos casos, o anfitrião tem a habitação junto ao estacionamento, como tal, deve ser acautelado volume do rádio e TV e a não utilização de geradores.
Do lado do Anfitrião (proprietário do espaço)
- Este sistema de convites dirige-se única e exclusivamente aos autocaravanistas que viajam a bordo de um veículo autónomo (duche, WC, água e depósitos de recolha de águas residuais).
- Disponibiliza o estacionamento na sua propriedade, gratuitamente, por um máximo de 24 horas.
- Poderá apresentar os seus produtos aos convidados, sem efectuar qualquer tipo de pressão para a aquisição dos mesmos.
- Poderá, a título excepcional, não receber visitas devido ao decurso de eventuais trabalhos.
- Deverá promover e esperar um tratamento cordial por parte de todos os visitantes, num ambiente informal e de convívio.

terça-feira, dezembro 16, 2008

Amigos do Centro: mais um forum portugues sobre autocaravanismo


Mais um forum de autocaravanismo em português!

Aumenta assim o pluralismo deste sector em pleno desenvolvimento, que em 2009 assitiu ao seu melhor ano de sempre a nível de aumento dos seus adeptos e das suas formas de se exprimirem com seriedade e sentido cívico.

Ora vejam:

domingo, dezembro 14, 2008

Mais um forum de autocaravanismo em português

http://www.autocaravanismo.info/forum/


Mais um forum de autocaravanismo e caravanismo, em português, para além dos já conhecidos e visitados do CPA Forúm CPA e o do Fórum CampingCar Portugal .






O novo forum parece todavia pouco representativo, apesar de ser uma reedição de uma experiencia anterior, que também abrangia o caravnismo de http://www.autocaravanismo.net/

sexta-feira, dezembro 12, 2008

autocaravanista paranoico em França ameça suicidio


Em boa verdade não se trata de um autocaravanista paranoico, mas de um paranoico numa autocaravana, como podia ser numa residência, ou num automóvel....

Em França, segundo o Telegramme....

Saint-Herblain. Il menaçait de se faire exploser dans son véhicule.

La police a interpellé , hier, un homme qui menaçait de faire exploser son camping-car sur une grande avenue de Saint-Herblain, dans l ’ agglomération nantaise. L ’ homme s ’ était retranché , en fin de matinée , dans son véhicule, qu ’ il avait garé en travers d ’ une voie de tramway à proximité d ’ un hypermarché. Il menaçait de faire exploser une bouteille de gaz qui était à l ’ intérieur. Un périmètre de sécurité a été mis en place et de nombreux policiers et pompiers s ’ étaient rendus sur place.

quinta-feira, dezembro 11, 2008

ACP AUTOMOVEL CLUBE DE PORTUGAL AVANÇA NO APOIO AO AUTOCARAVANISMO

O ACP, na sua Revista de Novembro anuncia para os sócios a hipotese de recolha de autocaravanas em garagem no Porto por 60 euros mês...

A pouco e pouco o ACP vai-se interessando pelo autocaravanismo...
- foi a recriação da secção de campismo...

- o inquerito aos sócios com questoes sobre autocaravanismo...

- o patrocinio e divulgaçao do I concurso de textos de relatos em autocaravana organizado pela Newsletter

- e, agora a criação de uma garagem de recolha de autocaravanas...
- a participaçao no I Encontro dos autocaravanistas da blogo-esfera (CAB)
-e ainda a participaçao numa reunião de trabalho muito proveitosa com o MIDAP

Note-se ainda que as autocaravanas estão incluidas no seguro de assistência em viagem (incluido nas quotas) nestes termos:

Quais são os veículos que têm direito a Assistência em Viagem?
Os automóveis ligeiros de passageiros, mistos ou de mercadorias, autocaravanas até 3.500 Kg de peso bruto, motociclos, ciclomotores, triciclos e quadriciclos – para todas as cilindradas, sendo esta uma das grandes novidades do Regulamento, já que anteriormente aquele não contemplava qualquer uma destas categorias (salvo motociclismo de cilindrada superior a 125 cc).

Esperemos o aumento desta cronologia de factos positivos para os autocaravanistas...por mim, quero "mais do mesmo!


"Leia-se a propósito o que esta escrito na pagina da internet do ACP sobre autocaravanismo
A autocaravana é a solução ideal para quem procura passar férias em liberdade na procura de espaços naturais que se nos deparam não só ao longo do País como por toda a Europa numa tendência cada vez maior.
A procura desses espaços abertos seja no campo, na praia, na montanha ou ainda na cidade tem levado muitos à aquisição deste tipo de material rolante que dispõe, cada vez mais, de maior comodidade, melhor qualidade e uma vasta melhoria de equipamentos. A prática desta modalidade não é de modo algum económica. Antes pelo contrário. É apenas uma questão de opção e filosofia de vida.
Os preços das autocaravanas variam entre os 25.000 e os 65.000 euros. Além disso, deverão considerar-se as despesas posteriores, como a assistência técnica, os seguros e os impostos. Em termos de portagens uma autocaravana insere-se na classe 2, o que é favorável, se levarmos em conta o seu tamanho.
Mas note-se: este tipo de material não é propriamente uma casa de habitação mas um meio da prática de um desporto, sendo condição primordial que esse espírito exista, apesar de algumas serem quase autênticas casinhas. Todos os anos aparecem novos modelos e marcas, com versões cada vez mais confortáveis, espaçosas e com equipamentos de série completos. Na Europa existem mais de dois milhões de autocaravanas, número que continua a crescer a um ritmo de mais de 20% por ano.

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Grande sucesso do 37º encontro do CPA, a sul do Tejo

Correu bem o encontro do fim de semana de 6/8 de Dezembro organizado pelo CPA


Com a devida vénia ao autocaravanista Dematos autor também do blog
Catrineta São julião em http://catrinetasaojuliao.blogspot.com/
aqui fica uma foto de homenagem a todos aqueles
que não se escondem no anonimato, nem nas insinuações,
antes, dão a cara e o esforço pelo Desenvolvimento do autocaravanismo em Portugal, porcurando prestigiar esta actividade entre nós.


legenda:um Forum para todos!


Crédito das fotos: Dematos.

terça-feira, dezembro 09, 2008

Autocaravanistas franceses assistem a partida para a volta ao mundo em barco de solitarios


1130 lugares de parking para autocaravanas em

Sables de Ollone competição Vendée globe

Ils ont afflué de partout pour assister au départ. 1 130 places leur étaient réservées dans le canton. Du coup, certains ont prolongé le plaisir.
« C'était le salon du camping-car ce week-end », s'amusait Éric, lundi. Les « maisons roulantes » ont toujours fait partie du paysage du Vendée Globe, mais un peu plus encore pour ce sixième départ.
La Ville leur avait d'ailleurs réservé 1 130 emplacements. Pêle-mêle, le parking du stade Bel-Air, à l'arrière du musée de l'abbaye Sainte-Croix, la rue de Verdun, le parking stade de la Paracou, les Salines, le camping la Dune des Sables à la Chaume, le parking de Tanchet. Sans oublier le circuit du Puits d'Enfer du Château d'Olonne, noir de monde dimanche
.

segunda-feira, dezembro 08, 2008

NOTICIAS do CAB: Circulo de Autocaravanistas da Blogo-esfera


Nota da Coordenação do Circulo dos Autocaravanistas da Blogo-esfera

A Coordenação do CAB saúda todos os "espaços da Internet" aderentes do CAB nesta sua primeira comunicação.

ver quem é aderente em http://www.cab-circulo.blogspot.com/

sugestoes de novos aderentes para circulo.cab@gmail.com

NOTA: Muito embora esta nota do CAB seja dirigida aos seus aderentes, já formalizados, dada a fase inicial das suas actividades, entendeu-se conveniente divulgar aqui e publicamente, esta nota para conhecimento de todos os interessados eventualmente conhecedores de outros espaços da internet vocacionados para tratar o tema do autocaravanismo, e que ainda não estejam recensados nos links do CAB, e que porventura desconheçam ainda a exsitência desta associação.

Após a aprovação da "Declaração de Alenquer", no passado dia 22 de Novembro, data em que foi constituído o CAB e em que também foram designados os membros que irão "coordenar os destinos do CAB no próximo ano" impunha-se dar expressão prática ao que os Autocaravanistas da Blogo-esfera aprovaram.
Assim, a Coordenação do CAB reuniu no dia 29 de Novembro e deliberou:


a) Imprimir um autocolante com o logótipo e os princípios de "Respeito Mútuo" constantes da "Declaração de Alenquer";
b) Passar a divulgar, sem comentários, através do Blogue do CAB, informações relacionadas com o Autocaravanismo, a inserir sobre o título genérico de "NOTÍCIAS", após a elaboração e divulgação de um Estatuto Editorial do Blogue;
c) Promover em todas as reuniões do CAB espaços de confraternização, de cultura e, objectivo primeiro das reuniões, de debate;
d) Aderir a protocolos e descontos de forma a diminuir os custos das reuniões referidas no Ponto VII da "Declaração de Alenquer" e iniciar os preparativos para a primeira reunião de 2009 a realizar em Fevereiro;
e) Estudar a promoção de um evento sobre autocaravanas que permita a participação da Comunicação Social com vista a uma maior divulgação do CAB;
f) Aceitar o convite, com o estatuto de observador, para participar numa reunião do MIDAP em Janeiro de 2009;
g) Enviar à família de Almeida Henriques (Roteiro Campista) e tornar público, um voto de pesar.
Mais entenderam solicitar directamente a todos os aderentes o seguinte:
1 - Que acedam ao nosso Blogue e verifiquem no Sector "Espaços Internet Aderentes ao CAB" se as designações dos vossos respectivos "espaços" estão conformes ou se desejam que passe a constar outra designação;
2 - Nos informem se o endereço electrónico que estamos a utilizar deve ser mantido ou se pretendem alterá-lo;
3 - Que nos "links" dos vossos respectivos "espaços" seja inserido o endereço do CAB;
4 - Que reservem uma localização nobre nos vossos respectivos "espaços" para, muito brevemente, colocarem o logótipo do CAB, "linkado" ao nosso blogue, que vos iremos enviar;
5 - Darem-nos sugestões, inclusive gráficas, para no espírito da "Declaração de Alenquer", melhorarmos o nosso Blogue;
6 - Tomarem a devida nota que o endereço do nosso blogue foi alterado, conforme podem constatar abaixo.

A Coordenação do CAB agradece TODA a compreensão e TODA a colaboração que os aderentes puderem dar.
Saudações autocaravanistas

circulo.cab@gmail.com

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Opiniões a propósito do pluralismo associativo autocaravanista em Espanha, e de um Congresso em Portugal

A notícia que abaixo se transcreve do Portal de Autocaravanismo


e de denominaçao camping y caravaning, espanhol.

interessa a todos os autocaravanistas actuais, ou potenciais, sejam proprietários da autocaravana, ou se apenas viajam à boleia, ou dela disponham por aluguer temporário. O que importa é que sejam turistas itinerantes auto-transportados!

Na realidade desde há bastante tempo que vimos a defender a ideia de um Congresso, ou Seminário Institucional do Autocaravanismo, e não como uma mera reunião de autocaravanistas, com ampla participação de todos os interlocutores deste sector. O exemplo espanhol pode mesmo servir de modelo.
Entretanto o CPA- Clube Português de Autocaravanas, o mais antigo e mais representativo dos autocaravanistas, na sua página em:
http://www.cpa-autocaravanas.com/ vai meter mãos À obra a num Encontro de Autocaravanistas em Abrantes,no final do I quadrimestre de 2009.

Esperemos que nessa altura apareçam como interlocutores o ACP -Automóvel Clube de Portugal, a ACAP- associação que representa os importadores e comerciantes de autocaravanas, e até mesmo da AECAMP. Associação das Empresas Proprietárias de Parques de Campismo, pois a utilizaçao destas infraestruturas, voluntariamente em nada diminui a noção de autocaravanismo itinerante. Por isso, a FPCM deveria igualmente contar-se entre as entidades convidadas.

Era desejável também motivar represenantes das autoridades nesse seminário, ainda que, se o desejarem, apenas com o estatuto de observadores, de modo a não se sentirem compelidos a sufragar ou subscrever as eventuais sugestões, conclusões ou recomendaçoes que se obtiverem. Mas sublinhamos, era desejável que aceitassem figurar como oradores para melhor percepçao por todos, dos pontos de vista das apresentações oficiais.

Ou seja, exprimimos a opinião, que entendemos construtiva, que deviam estar presentes, e paresentar comunicações:

- ANMP Associação Nacional dos Muncípios Portugueses
- ANAFRE Associação Nacional das Juntas de Freguesia

Também entendemos que se deveriam convidar a estar presentes, patrocinar e intervir várias entidades oficiais a nivel da Administração Pública Central e Governo como por exemplo:

- Secretário de Estado do Turismo

- Secretário de Estado da Administração Interna

- Instituto de Turismo de Portugal

- Comando Geral da GNR

- Comando Geral da PSP

- Capitanias ou Administração de Portos

- CCDR Comissões Coordenadoras do Desenvolvimento Regional

- Entidades da area do Ambiente e gestão dos parques naturais

-Instituto das Estradas de Portugal

Ainda na area das entidades a convidar, e cujas presenças enriqueceriam os debates, haveria que incluir as concessionárias de auto-estradas (Brisa e brisinhas) e ainda a Associação das Empresas das Grandes superfícies comerciais pois no estrangeiro cada vez mais, hipermercados e super mercados, criam zonas de estacionamento e serviços para autocaravanistas nos seus espaços...e até porque não, a ARESP Associação dos restaurantes, porque em especial nos chamados restaurantes de estrada, os respectivos parkings constituem um complemento de areas de estacionamento e pernoita para autocaravanas. Em pé de igualdade deveria incluir-se a ANAREC a Associação Nacional dos Revendedores de Combustíveis, pois nas estações de serviço de combustiveis há sempre um ponto de água, e um ponto de esgoto tratado, que poderão servir de escoamento a àguas cinzentas e até negras.

Last but not the least:
Deveriam também participar as associações recém criadas, e que não visam de modo algum constituir-se em associações concorrentes do CPA, ou de qualquer outro Clube ou Federação existente, antes possuem alma e corpo próprio como é o caso do MIDAP (Movimento Independente para o Desenvolvimento do Autocaravanismo) e do CAB (Circulo dos Autocaravanistas da Blogo-esfera).

o MIDAP constituiu-se como uma pataforma de autocaravanistas, independente, e por isso mesmo, pode rapidamente apresentar-se ao diálogo, aberto ao CPA, e com o Portal Camping Car Portugal, abrindo diálogo também com o Automóvel Clube de Portugal, de modo a criar uma componente importante de cooperação e junção de esforços entre todos aqueles que pensam, e agem pelo Desenvolvimento do Autocaravanismo, como forma de turismo itinerante. O MIDAP não é pois, um simples clube de autocaravanistas mas antes um factor de valor acrescentado, idóneo, legitimo e credivel no panorama do autocaravanismo. Mais informações em http://www.midap.blogspot.com/

O CAB constitui uma associação sem fins lucrativos, aberta, sem personalidade jurídica, e com uma natureza inovadora e inédita: só reune autocaravanistas que sejam simultanemante produtores de conteúdos sobre autocaravanismo e detenham um espaço próprio na internet. Constituem em si mesmos, uma pleiade de autocaravanistas interessantes e habituados a contactar com a opinião publica e, por isso, podem constituir um importante grupo de reflexão, de difusão e de dignificação do autocaravanismo. Uma mais valia portanto, para o Movimento do Autocaravanismo. Sinal de sucesso foi o número de presenaças e representações do I Encontro dos Bloguistas de Autocaravanismo, e o seu site já com mais de uma dezena de seguidores, e o recenseamento feito de espaços de interesse de interesse para os autocravanistas, justificam também os eu interesse. Mais informações em http://www.cab-circulo.blogspot.com/



uma nota final: a democraticidade inédita da formação do MIDAP e do CAB merecem ser sublinhadas. Ambas estas entidades foram constituidas através de um processo público e largamente participado, quer com notícias preparatórias nos foruns do CCP e do CPA, quer no caso do CAB com abertura de um site dedicado, e com a divulgaçao pública prévia dos documentos utilizados no encontro acima referido. Por outro, lado estas duas entidades tem já trabalho realizado, e mantem uma total disponibilidade para com o apoio de outros interlocutores, se proceder à criação de um Observatório Não Governamental do Autocaravanismo Itinerante.

Em conclusão, um Encontro Intitucional do Autocaravanismo (e não apenas de autocravanistas) de tal natureza, será extremamente ambicioso....mas não será nem desnecessário, nem impossível. Claro que requer uma comissão organizadora que transcende o CPA, mas que deveria ser liderada pelo Clube, assim o entendessem a sua Direccção e os seus associados.

E em qualquer caso o I Encontro de Autocaravanistas previsto para Abrantes, poderá ser sempre um ensaio parcelar e preparatório do I Encontro Nacional de Autocaravanismo com os contornso e participações sugeridos, a realizar a horizonte mais largo.
Em tempo:
1)O blog do Midap entendeu fazer uma referência simpática a este post que se pode ler no respectivo web site em:
*****
2) Alerta-se que o blog pirata e anónimo que usurpa a referência ao circulo (CAB) reproduz tambem este texto, a que o autor é alheio. Alerta-se mais uma vez que os contactos verdadeiros do CAB são os seguintes:


Ora quanto a notícia espanhola ela aqui vai:

Participaron dirigentes de las principales asociaciones autocaravanistas
I Encuentro Nacional sobre Autocaravanismo en Gijón

El sábado, 29 de noviembre, tuvo lugar en Gijón, el Primer Encuentro Nacional sobre Autocaravanismo. En él participaron los dirigentes de las principales asociaciones autocaravanistas de España tanto de usuarios, como de distribuidores y se creará un grupo de trabajo con el objeto de analizar la problemática del sector, especialmente la que se refiere a la normativa que regula el mismo.

En este encuentro se dieron cita en Gijón los presidentes de la

- Federación de Asociaciones Autocaravanistas de España (FEAA),

- Plataforma de Autocaravanas Autónoma (PACA),

- Federación Española de Clubes Campistas (FECC),

- Asociación Española de Comercio del Caravaning (ASEICAR)

y representantes de los autocaravanistas asturianos, organizadores de esta cita. Desde enero de 2008, está en vigor la nueva Ley de Turismo de Asturias, cuyo reglamento en su art.3 determina que las autocaravanas no pueden estacionar en el Principado, so pena de ser multadas, ya que se considera que se encuentran en “Acampada libre”.

Ante esta situación, las asociaciones autocaravanistas no solo han presentado más de mil recursos y tres contencioso-administrativos contra dicho artículo, sino que han mantenido varias entrevistas con la directora de turismo Sra. Llaneza, sin llegar a ninguna solución. Todo ello ha desembocado, entre otros daños, en una campaña de desprestigio hacia la imagen turística de Asturias que se está propagando por internet a toda Europa, así como el estudio de otras acciones de fuerza contra la administración asturiana, y por supuesto una imagen totalmente negativa del Principado entre todo el colectivo autocaravanista en Europa, que supone más de dos millones de familias.

Ante esta situación, los tres mayores colectivos autocaravanistas y la asociación de empresas del sector han sido convocadas a este encuentro, con el fin de crear un grupo de trabajo conjunto que coordine desde ahora todas las iniciativas y gestiones ante las diferentes administraciones, en defensa de los legítimos intereses de este colectivo, que cada año es más numeroso en nuestro país.

Saragoça, encontro de autocaravanistas e I FEIRA DE AC USADAS



Se celebrará en Zaragoza del 29 de enero al 1 de febrero 2009
Llega Camping Caravan Ocasión


Peldaño organizará los próximos jueves 29, viernes 30, sábado 31 de enero y domingo 1 de febrero de 2009, en los recintos feriales de la capital aragonesa, un evento sin parangón en España: el CAMPING CARAVAN OCASIÓN (CCO).

La feria se ubicará en el Pabellón 7 de Feria de Zaragoza que compartirá, en su superficie aneja, pero independizada, con la III edición del Salón Internacional de Camping Profesional (PROCAMPING), donde el CCO ocupará una superficie exclusiva de 10.000 metros cuadrados.Otro aliciente lo constituye la coincidencia de fechas de celebración (30-31.01 y 01. 02.09) con el Motor Show Festival, que anualmente supera los 100.000 visitantes y cuya sinergia potenciará sin duda la afluencia de público al CCO.


El evento, el primero de estas características (ocasión) que se celebra en España, nace como una alternativa de extraordinarias posibilidades para los aficionados y potenciales usuarios de camping-caravaning. En el Pabellón 7 de Feria de Zaragoza podrán visionar y adquirir accesorios y todo tipo de elementos de caravaning a precios de «ocasión»: remolques-tienda, caravanas, autocaravanas… (de sotcks, kilómetro cero, nuevas o seminuevas).


También estarán presentes en el recinto stands de campings de todas las comunidades autónomas, ofreciendo sus ofertas al público interesado. Durante el fin de semana que abarca las fechas de celebración está previsto organizar una «kedada» de autocaravanistas, con posibilidad de pernoctar en el aparcamiento que se habilitará al efecto.Por lo que el Camping Caravan Ocasión contará con un amplísimo cúmulo de atractivos para congregar a todos los segmentos del gran público al que va dirigida esta singular feria.

terça-feira, dezembro 02, 2008

Bons autocaravanistas transformados em bons Pai Natal





Vivam Leitores,




aqui fica o eco de uma sugestao dos CTT.



Informamos que os CTT estão envolvidos no projecto de Acção Social bastante mais abrangente, que passamos a expôr: CTT abrem a sua rede à solidariedade Combate à pobreza Os CTT vão pôr a sua rede à disposição do combate à pobreza e à exclusão social. A partir de 1 de Dezembro próximo, os Correios de Portugal põem em marcha um projecto que, durante os próximos meses, permitirá a qualquer pessoa ajudar quem mais precisa de forma gratuita. Este projecto é uma iniciativa dos CTT inscrita na sua política de responsabilidade social.
Surgiu da constatação de que ninguém como os CTT tem capacidade para chegar a todas as localidades e a todos os habitantes do País. Por isso, os Correios vão fazer um envio massivo de um folheto informativo por todas as casas do País. Esse folheto, que será acompanhado de um saco específico para o transporte dos donativos, informará a população sobre as instituições de solidariedade aderentes ao projecto e que tipo de bens necessitam. Com esse esclarecimento em mente, bastará a qualquer pessoa deslocar-se a uma das quase 1000 Estações de Correio existentes de Norte a Sul do País com o seu donativo. Uma vez lá, ser-lhe-á fornecida gratuitamente uma caixa de transporte em cartão.
O autor do donativo apenas terá de encher a caixa e escolher a instituição destinatária, entre as várias possíveis, sem precisar de indicar uma morada. Os Correios tratam do transporte e da entrega, de forma totalmente gratuita. A lista de instituições de solidariedade social aderentes é uma lista aberta.
Neste momento, os CTT estão em contacto com algumas dezenas de instituições, de carácter nacional e local. Está já confirmada a adesão de instituições como a Abraço, ACAPO, Acreditar, Ajuda de Berço, Ajuda de Mãe, Aldeia de Crianças SOS, Associação Portuguesa de Surdos, Casa do Caminho, Casa do Gaiato, Centro Helen Keller, Comunidade Vida e Paz, Cruz Vermelha Portuguesa, GIRA, FENACERCI, Liga Nacional Contra a Fome, Refúgio Aboim Ascensão e Associação Sol. Outras serão anunciadas nos próximos dias.
Os bens elegíveis para doação dependem das necessidades de cada instituição e das limitações logísticas e incluirão bens como roupa, calçado, agasalhos, artigos de higiene, brinquedos, produtos de limpeza, pequenos electrodomésticos ou de entretenimento, entre outros. Para esta grande iniciativa de carácter nacional, os Correios vão disponibilizar não apenas os seus voluntários, de um universo de 16 mil trabalhadores, como a sua rede: quase 1000 Estações de Correios, 370 Centros de Distribuição Postal e 3702 veículos de transporte que, todos os dias, percorrem cerca de 240 mil quilómetros.
Este projecto dos CTT é complementado por uma iniciativa protagonizada por uma empresa detida a 100% pelos CTT, a PayShop, e que permite que qualquer cidadão faça donativos em dinheiro, a partir de um euro, em 4500 locais de todo o País: 3500 agentes PayShop e quase 1000 Estações de Correio. É convicção dos CTT – Correios de Portugal que esta iniciativa permitirá democratizar a solidariedade e eliminar barreiras geográficas.

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Documento espanhol sobre complementariedade entre parques de estacionamento de AC e parques de campismo


Disclaimer....Os nossos leitores (sérios) são suficientemente informados para lerem com proveito mais do que uma opinião sobre autocaravanismo, e bem compreendem que esta Newslletter presta um verdadeiro serviço de informação pública, quando aqui traz experiências estrangeiras, e pontos de vista plurais. Não estamos animados por nenhum hipócrita jogo de poder, nem nos atrai brincar às casinhas, nem sofremos de nenhuma paranoia persecutória, ou conspirativa. Apenas não aceitamos nem Papas, nem papás, nem papões no panorama do autocaravanismo português, nem padecemos de frustrações doentias...que alguns foruns, públicos ou fechados expõem de forma confrangedora.
Aqui, e onde escrevemos, actuamos pela positiva, pró-activa. Ter ideias não é negativo, nem pode ser proibido, e concretizá-las ainda menos!
Também não descemos de nível, não subscrevemos torpes insultos, nem insinuações difamatórias, não atacamos ou injuriamos pessoas, não engedramos infâmias, nem actuamos em devassas ou ameaças de matilha raivosa.
Discutimos desinteressadamente ideias, e propomos ideais interessantes ao debate. O resto, fica para os tribunais.
E relativamente às instituições, em que se estrutura e apoia o movimento respeitável do autocaravanismo português, a nossa atitude é de colaboração, prestável e disponível, o que inclui, quanto ao autocaravanismo itinerante:
- CPA: Clube Português de Autocaravanas,
- CCP: Portal Camping Car portugal,
- ACP: Automóvel Clube de Portugal,
- MIDAP: Movimento Independente para Desenvolvimento do Autocaravanismo Português
- CAB: Circulo de Autocaravanistas do Blogo-esfera.
Por isso adoptamos também a Declaraçao de Alenquer, incluindo o código Respeito:
Respeitar a natureza e o património cultural.
Evitar a formação de concentrações de ACs.
Só estacionar em lugares apropriados.
Privilegiar o comércio tradicional local.
Estar e ser discreto e cortês com todos.
Inter-agir amigavelmente com o próximo.
Tentar cumprir e manter estes princípios.
Observar sempre o bom senso e bom gosto.
Resta acrescentar, para os interessados, que não nos apouca nenhum conflito de interesses, antes a atitude é de transparente e vertical conciliação: o autocaravanismo livre, como turismo motorizado e itinerante, tanto se pode fazer em parques de campismo, como fora, em àreas de estacionamento e pernoita, devidamente adequadas, e regulamentadas. Estas duas realidades coexistem, embora se possam colocar sempre questões relativas aos limites da concorrência entre si, e da sua complementariedade. Já aqui colocámos um post sobre um exemplo francês, hoje apresentamos um power point espanhol com conclusões, que ficam à apreciação critica de quem se quiser pronunciar.
Bem hajam, os que por Bem ajam.