quarta-feira, novembro 28, 2007

cuidado com a compra de autocaravanas usadas.....


não se deixe ficar debaixo da autocaravana...
Esta nota diz respeito ao compradores potenciais de autocaravanas usadas, e não aos vendedores das ditas, muito embora eu tambem ja tenha estado em uma e outra situação.
De facto a primeira experiencia autocaravanaista foi numa HYMER , motor Citroen C25, usada, com 10 anos e 100.000Km, a segunda numa ELNAGH, comprada usada,motor Ford Transit com cerca de 6 anos e 35.000KM (reais esteve mesmo parada muito tempo), e que vendi por mais 1000 eurso do que a compra, e finalmente duas KNAUS, um com motor Ducato 2,8JTD (vendida com cerca de 50.000Km ao fim de 3,5 anos) e a outra e actual com motor Renault Master 3000.
Ao todo tres capucines e uma perfilada...Ora o que se verifica é que devido ao boom do autocaravanismo tambéem entre nós, se multiplicam as compras no estrangeiro de usados que depois são matriculados em Portugal.
Na velha EN nº 1 entre Porto e Coimbra e em muitos outros lados saõ comuns stands de automoveis com algumas autocaravanas importadas, para não falar nos inumeros casos de importação directa pelo interessado.
Não admira que assim seja, o mercado de usados (das AC novas comercializadas em Portugal) é escasso, e no estrangeiro, Holanda, Alemanha, Belgica e FRança, pululam oportunidades a baixo preço!
Ha muitos casos bem sucedidos. Mas há muitos outros hoje frustrados com as compras feitas, desiludidos com:
- falta de performances do motor, e do equipamento
- avarias constantes
- preço alto, e grande dificuldade na retoma.
Este ultimo ponto é muito importante, pois se a entrada no autocaravanismo se pode fazer com uma AC nova de baixa gama, também muitos preferem uma AC de gama media, usada e de melhor preço, até com intenção de mais tarde se proceder a troca por outra nova e que dure...e dure...tal e qual como quando se escolhe um automovel para durar.
Penso que este tipo de reflexoes pode e deve ter lugar nesta newsletter, e nos sites de foruns de autocravanistas, pois é visitado por muitos curiosos interessados no autocaravanismo, pelo que aqui o partilhar de experiencias, positivas e negativas, pode ser util a toda a comunidade autocaravanista...
E quem sabe se um dia o CPA- Clube Português de Autocaravanas, nao promoverá uma FEIRA DE USADOS (mas sem arrivistas de comercinates encapotados de trata-se)...como acontece por essa Europa fora...
Dou a minha achega, e por ordem de prioridades em check list ad hoc.
1) Convem ter uma ideia dos preços dos usados , por ex em França...ver o site do Site du CAmping Car, que merece o respeito de ser gente séria e cordata...
2) Antes de comprar um usado, convem apesar de todo o entusiasmo, inquirir de um stand de AC novas, quanto valeria esse usado em termos de retoma por compra de um novo equivalente...e avaliar se ha risco excessivo na operação, ou não.
3) convem ponderar nos usados importados para Portugal, se com as matriculas novas a colocar depois de 1 de JULHO de 2007, qual o imposto a pagar, e se não vai haver nenhuam surpresa desagradavel em termos de taxa por se tratar eventualmente de motores penalizados em termos de poluição.
4) e o seguro? e o livrete? e o peso? e a tara?
5) e a mecânica? Será que na próxima inspeccção anual...passa sem grandes despesas? Não será sucata? terá havido algum acidente grave?
6) e o equipamento? frigorifico? fogão? estado das tubagens de gás? canalizações? infiltrações? janelas? sistema electrico?
7) e o modelo? é aquele que se adequa mesmo as necessidades...ou apenas se encara essa compra porque é o preço que atrai? não se estará a comprar um modelo aquem, ou para além das necessidaes, só porque nos usados não aparece nada a medida?
Em sintese...
1) não se aventure, nem decida por paixão...não fique debaixo do "camião" !
2) veja bem os usados em stands de novos, provenientes de retomas e em stands de usados crediveis...e compare preços.
3) se for um particular desconhecido a vender...siga o check list anterior (também)
Boas compras e boas vendas!

sábado, novembro 24, 2007

telenovela espanhola TELE 5 promove revista de autocaravanas







aqui há mosca?
...ou barata tonta
mas só em Espanha!

ora veja apartir do 1' 30" das imagens do extracto do you tube...
Na serie de televisão, da telenovela cenas de um matrimónio, ou da vida de um casal, ver a extraordinária publicidade à revista espanhola de autocaravanas de Camping y su Mundo, de que existe uma versão em fraco português, e practicamente sem noticias, ou textos portugueses, a circular entre nós:







transcrevendo a noticia, com sublinhados nossos, em bold:


LA REVISTA, TODO UN REFERENTE DENTRO Y FUERA DEL SECTOR QUE OCUPA
«Escenas de matrimonio» con EL CAMPING Y SU MUNDO
La aparición de la publicación en reiterados episodios del programa «Escenas de matrimonio» ha supuesto, sin duda, una buena promoción para la misma y para todo el segmento donde ejerce su labor informativa. La que ya alcanza más de 220 números al servicio del sector se ha convertido en todo un referente hasta para los más ajenos a la actividad campista/caravanista, y esto, a la vista está.
La revista EL CAMPING Y SU MUNDO ha tomado contacto con el mundo televisivo, concretamente en un programa que emite la cadena privada de televisión, Telecinco que, de lunes a viernes, en la banda horaria de mayor audiencia como es la nocturna (de 21.30 a 22.00 horas), hace reir a los telespectadores con los exitosos capítulos de la desenfadada serie «Escenas de matrimonio», que escenifica en tono de humor vivencias cotidianas de tres parejas (una de jóvenes, otra de mediana edad y otra de la tercera edad). En repetidos y sucesivos episodios (octubre-novbre. 07), el protagonista de la pareja de mediana edad (Roberto y Marina en la ficción) habla a su esposa de su deseo de «comprar una autocaravana, para lo que decide informarse a través de EL CAMPING Y SU MUNDO, cuya portada y páginas interiores del ejemplar corresponde al mes de octubre 2007 (núm. 220, «Novedades 2008). Sin duda, una muy buena promoción, no ya de la revista sino, por extensión, de todo el sector. Desde la redacción de EL CAMPING Y SU MUNDO, así como del grupo editorial que la respalda, Ediciones Peldaño, S.A., enhorabuena a la iniciativa de Tele 5, a los realizadores, a los guionistas y, cómo no, a Roberto y al resto de protagonistas de la serie.
ver episodio

Noticia publicada el 23/11/2007

quinta-feira, novembro 22, 2007

vai sair em breve: GUIA BEL AIR DE CAMPING CAR




Guide Bel air évasion camping-car 2008

(Broché) de Collectif (Auteur)
Prix éditeur:
EUR 9,00
Prix :
EUR 8,55


Économiza:
EUR 0,45 (5%)
Disponibilité : Bientôt disponible - Commandez-le maintenant et nous vous l'enverrons dès qu'il sera disponible.


Expédié et vendu par:

http://www.amazon.fr/ ( Emballage de presente disponivel).

Alternativas: GUIA DA ADAC (Automovel Clube Alemão e Guia Holandês da Camperstop


segunda-feira, novembro 19, 2007

do Camper-Porto de Alenquer a Santiago do Cacém, com escala em Estremoz

Pois foi assim.
O fim-de-semana de 17 de Novembro estava parcialmente guardado para ir até ao Porto, a feira Natura, e também para arejar a autocaravana porque esta já estava a criar inconvenientes raízes desde a última sortida que terminara em Setembro.
Porém os relatos negativos que iam chegando do desinteressante evento da Natura ditaram a sua má sorte. Nada de idas ao norte, mas sim a uma saída em AC, para matar saudades, recarregar baterias, e desentorpecer pneus.


Decidido então.
Sábado depois da Tertúlia do Bar do Além de sábado dia 17- excelente exposição e debate sobre o hinduísmo feito por Pedro Teixeira da Mota, que aliás viveu 2 anos de estudo na Índia, acabado o almoço e as conversas subsequentes entre amigos, foi tempo de retirar do Camper-porto (ou Camper-park) do Alenquer Camping, a semovente, e aprontar o destino a Estremoz, consorte knauserina concordante….para uma volta de cerca de 500Km e com um orçamento da ordem dos 100 euros a olhómetro!

Bom agora repara quem ler esta crónica pela primeira vez…o que é a semovente e isso de knauserina… consorte, não será gralha?

Não senhor, mas para simplificar aqui fica o léxico:

Neste dicionário da newsletter:

Camper-Porto (em espanhol... Camper -Park) significa uma área de serviço como a do Alenquer Camping, vocacionada para apoio a autocaravanas sejam de capucine (aqui não se escreve capuchinho, nem muito menos capuchinha). Nesta terminologia, quem sabe se um dia será oficial, camper-porto está para a realidade do autocaravanismo, como aeroporto esta para os aviões, e as marinas para os barcos. O Camper identifica o veiculo apropriado a uma actividade rolante, com condições de habitabilidade, e Porto, é sempre de abrigo, o conjunto de facilidades desejadas de infra-estruturas a quem usa o camper, isto é uma plataforma plana, com tomadas de água e electricidade, uma área com abastecimento de água, e favorável aos despejos de aguas cinzentas e negras, e para o condutor um bar de reabastecimento e distensão….

Semovente identifica a autocaravana, uma caravana auto transportada, que se move por si própria, porque dotada de motor…No caso actual uma perfilada Knauser sport Ti 700 USB, que desde Maio deste ano já percorreu pouco mais de 15.000Km.

Knauser è este vosso escriba e autor, que Decarvalho de nome, passa ao nic de Mr. Knauser quando ao volante da semovente .

Knauserina é a mulher de Knauser…e simultaneamente a consorte, que acumula funções de GPS e de Câmara de recuo…e ainda de hospedeira de bordo, quando se atinge a velocidade de cruzeiro.

Olhómetro instrumento áudio e vocal, de medida de grande exactidão, de origem milenar, e de afinação automática que funciona para identificar qualquer quantidade de peso, liquido, distância, ou de volume, e de emoções, segundo o método cientifico de piscar os olhos, e proferir o primeiro palpite que vier à mente.

Então…. Já íamos na decisão de rumar a Estremoz…em alternativa ao Porto, com aqueles pretextos de ultima hora, que somados, ganham um lógica quase de chave certeira para o euro milhões…e foi porque tínhamos uns amigos régios, que estavam algures na pousada de Sousel, e ainda porque tinha notícia de uma exposição …. No Caminho sob as estrelas … sobre Santiago de Compostela, em Santiago do Cacém. Em lógica bicuda absoluta…cá está: Alenquer-Estremoz-Santiago-Lisboa-Alenquer.

Ou seja, uma sortida de fim-de-semana de um só dia, com saída sábado pelas 16.30h, e regresso domingo, mais ou menos pela mesma hora, a lembrar as trocas de impressões com o falecido companheiro autocaravanista Fernando Matias, com quem no último almoço, juntos discutíamos a feitura de circuitos dos 100, ou seja, de 100 km, ou com o gasto de 100 euros…sem problemas, à volta da grande Lisboa.

Pois neste caso percorremos cerca de 500Km, e gastamos os cerca de 100 euros, dos quais, em refeições quase 40 euros (um jantar e um almoço para o casal) e em portagens e gasóleo 60 euros para o semovente. Acrescente-se ainda 3 euros de entradas da exposição de Santiago do Cacém.

Quanto às impressões de viagem aqui vão as dicas:

Estremoz….excelente local de pernoita no imenso parque de estacionamento em forma de terreiro municipal entre a Câmara e a Igreja de São Francisco. Ambiente tranquilo, espaço de sobra, ninguém incomodou. Não há apoios de autocaravana, mas sendo esta auto-suficiente e por só uma noite … para jantar o Isaías…toda a gente sabe onde é, e vale a pena, preços decentes, qualidade culinária idem, e assim para um casal (éramos dois com os tais régios amigos que foram ter connosco) os 20 euros da nota azul, chegam partilhando uma dose, mas não enjeitando nem o doce (pão de rala? encharcada?) fresquíssimos, numa sala típica de grandes tulhas encostadas à parede, e com legendas em verso. De manhã depois das habituais torradas e café com leite, um passeio pelas muralhas até à pousada, e as fotos de ocasião.

Seguiu-se Evoramonte, em linha com Estremoz e Évora. Belo Castelo de quatro torreões tubulares de D. Jaime de Bragança dominando a planície alentejana, e a ermida próxima. À hora matutina de domingo as portas estavam fechadas. Note-se que junto à ermida também se poderá passar uma noite em sossego na AC.

Depois Évora, em dia de desfile de automóveis antigos, a seguir Alcáçovas e, logo depois, desvio para a Barragem Trigo de Morais, e pousada do Vale dos Gaios (fechada). Note-se que aqui dá para uma pernoita em AC. Logo a seguir, desvio para Rio de Moinhos por estradão ou picada de areão até Sta Margarida do Sado, ao longo de um rio invisível e de campos de arroz decepados, e milheirais secos, mas ainda de espigas para colher. Em tempo bom, não há que temer, só a poeira.

Para o almoço escolhemos o Grândola. A semovente bebeu gasóleo da Galp (claro, com talão Continente para poupar os tais 5+5 cêntimos que a vida não está para esbanjar cêntimos…e assim lá foram menos 3 euros ali, à boca da bomba, e mais outro um talão de outros 3 euros para as mercas no hipermercado, o tal do Tio Belmiro. Nós fomos à Coutada no Jardim de Grândola. Excelente o Borrego, e não menos o Javali. Vinho de Pias para a consorte, e para mim a água suja do imperialismo americano, ou seja, Coke zero.


Seguimos depois para Santiago do Cacém, e pelas indicações fomos estacionar num imenso e novo parque, sob as vistas do Castelo. Local possível talvez, para uma pernoita de AC. A Igreja em honra de São Tiago, e o Castelo merecem visita. Na altura, a exposição temática com muitas peças cedidas por Santiago de Compostela geminada com Santiago do Cacém, é motivo adicional de interesse, bem chamativo, com as bandeiras com a espada da Ordem de Santiago e a concha vieira a espadanar ao vento.

Valeu a pena, compensou esta sortida, e comparando os relatos da Natura desnaturada, as fotos que se juntam comprovam que não foi tempo perdido. O regresso, tal como a ida, foi feito pela nova ponte do Tejo, dita da Lezíria entre Carregado e Benavente. Uma estreia para todos, semovente incluída que se portou a altura dos acontecimentos!

Assim, lá ficou adormecida, em Alenquer, no seu Camper-Porto à espera de novos ventos favoráveis. Assim o sejam sempre os amores e os humores!

saiu já o ultimo numero da unica revista de autocaravanismo em PT


editada pelo CPA, pode consultar on line em:
http://www.cpa-autocaravanas.com/materiais/boletim_7-
onde também pode ser redireccionado para o net Forum do CPA

terça-feira, novembro 13, 2007

convite da Norticampo para a semana de ouro, no Porto



convite recebido....para autocaravanistas,
caravanistas e campistas....
que repassamos aos interessados!






Caro Cliente e Amigo,

A NORTICAMPO , no seu Pavilhão de vendas na Rua Oriental em Perafita vai realizar entre os próximos dias 24 de Novembro e 2 de Dezembro uma semana de ouro para a apresentação e venda dos novos modelos 2008 das suas representadas KNAUS, MONCAYO E PILOTE.

Vamos estar ao vosso dispor com um horário de atendimento alargado de 2ª a 5ª até às 20H e na 6ªfeira , sábado e domingo até às 22H Vão ser 8 dias de festa e convívio que os clientes e Amigos não vão esquecer pois, todas as vendas da NORTICAMPO de caravanas/ autocaravanas e acessórios feitas durante este período, serão contempladas com o pacote de ofertas BONUS DOURADO que a todos vai surpreender.

Aproveitamos esta oportunidade para lhe fazer saber que de acordo com a maioria dos colegas também comerciantes de material de caravanismo e auto-caravanismo no Porto , foi decidido optar por este tipo de alternativa à nossa presença em Feiras de Turismo a realizar no Norte, em particular em feiras e certames não especialmente dedicadas ao caravanismo/autocaravanismo.

Assim,Esta é a nossa alternativa inovadora pensada e centrada a favor dos clientes em que acreditamos, e que pelo valor do BONUS DE OURO vão ficar muito beneficiados.

Não fique fechado em casa! E traga um amigo ou familiar consigo!

Aceite a dinâmica 'SEMANA DE OURO' com nossos votos de que todas as alegrias de viver quando viajar com a sua nova caravana/autocaravana comprada na NORTICAMPO se possam repetir por muitos anos.

Sabe o porquê da palavra férias estar sempre no plural????

Visite-nos …. nós damos a explicação mas só de boca a orelha..

Um abraço da equipa da NORTICAMPO e até breve.

domingo, novembro 11, 2007

II aniversário do Forum Camping Car Portugal

(http://www.campingcarportugal.com/)

A ultima iniciativa divulgada pelo Forum CCP foi o V Encontro CCP, na ponte de 5 de Outubro, 2007, em Sintra, como consta das informações do respectivo portal registadas no web site acima indicado.

Postal do Danúbio Azul, em Viena....




O título poderia ser este ou qualquer outro, desde que contivesse Viena, pois o Danúbio, azul é que não é!



Ora esta crónica, mais uma vez não é de viagem de autocaravana, mas sim e apenas de viagem. Viagem de avião, para uma reunião profissional em Viena, saída de Lisboa a uma 5F, reunião sexta, e regresso sábado. Só mesmo ir e vir, com um curto meio dia de turismo pedestre em Viena de Austria. Não obstante aqui fica o sinal de proibição de No Camping junto a zona principal do Hofburg...mas sítios para estacionar há, desde que não envolvam pernoita.

A última vez que tinha estado em Viena, foi há quase 20 anos...em 1988, no verão, com em família, com os filhos, de caravana, e num periplo pela Austria, com partida vindo da Alemanha, em Bregenz, passagem por Innsbruck, Salzburg (incursão a Alemanha ao ninho das aguias, em Berchensgarten), e depois Viena, Graz, Klagenfurt,Villach e a seguir a Italia para Udine e Veneza etc...De Viena a recordação do calor, da monumentalidade, do tipicismo de um jantar no bairro Grinzing, do goulash, e vagamente do camping relativamente central.

Desta vez os apontamentos de viagem resumem-se a poucas palavras, pois as imagens mais do que as suplantam em informação objectiva. Registam-se porém as seguintes impressões ligeiras:

- refeições faceis e em conta, um jantar num café restaurante bem simpático, o EILES, muito estilo romântico e retro, com empregado de smoking, recantos com mesas de canto, jornais para os clientes e uma ementa variada e razoável...sopa, panados de queijo ementhal, e chocolate quente...12,50€. Mas se a ASAE lá vai....vai encerrar o estabelecimento, pois nem toucas nas cozinheiras, nem torneiras de longos manipulos! Fica na rua Josefstaedtertrasse.

A outra refeição, almoço, foi junto ao Parlamento na Stadiongasse, num restaurante Tailandês, o SAWASDEE, por 10 €, incluindo meio litro de cerveja sem alcool, sopa, prato de caril e sobremesa oriental...ora, veja-se lá o que foi o menu... Kaeng Panang Gai...que incluiu...Panang Curry mit Hunherfleisch, fisolen, bambussprossen, kokomilch und reis....qualquer coisa como caril de frango com rebentos de bambu e arroz...com leite de coco! Para saber mais é seguir o link http://www.sawasdee-restaurant.at/ .


Quanto ao segundo jantar, foi em Cobenzl, oferecido pela organização num heurigen, seja um restaurante tipico, com música folcórica, de guitarra vienense e viola, num alto rodeado de vinhas, com uma vista espectacular sobre Viena iluminada, e a seguir ao bairro tipico de Grinzing. Regime de buffet com vinho tinto e branco da região, e ainda sumo de uva...e pratos variados desde almondegas locais, ate carne de porco, massa, e saladas diversas de legumes e vegetais. Importante para o autocaravanista....no imenso parque de estacionamento pode-se pernoitar..mais informações. Basta procurar pelo restaurante LANDGASTHAUS WALDGRILL COBLENZL.


Mas para além do trabalho (que aqui não interessa) dos comes, há a cultura, e para já distinga-se a visita ao Museu de Historia Natural (8€ até aos 65 anos), onde se calcorreiam uns bons km. Mais informação em http://www.nhm-wien.ac.at/. Facil de encontrar fica na Av. dos Museus, com entrada frente a uma majestosa estatuta de Maria Teresa, a imperatriz do Império Austro Húngaro que com Francisco José domina a estatuária monumental de Viena. Ficamos mais tempo na sala dos meteoritos, na de antropologia com a célebre Virgem de Willendorf de há 30.000 anos, na dos dinaussauros, e nas salas das conchas, mas todo o conjunto é impressionante e de relevo.

Ficam algumas fotos mais:



- do restaurante de Cobenzl (interior), - da Igreja da Ordem de Malta (São João), ( ver mais em http://www.malteserorden.at/, - da ponte de Sta Maria sobre o Danúbio, - do Palacio de Hofburg, e da ala da Sissi, - da Praça de São Miguel, - Das ruinas romanas, da Câmara Muncipal (Rathaus) da Igreja Votiva, da Igreja Catedral- Domus, da Escola Espanhola de Equitação, do Parlamento, do Teatro- Burgtheater, Da Ópera, e da estátua moumento à República, etc...como a anotação de que Viena Monumental merece uma visita. Até de autocaravana! pois há bicicletas públicas para percorrer a cidade.




segunda-feira, novembro 05, 2007

MALTA: saber ver, saber ouvir, saber recordar!




Malta, destino da ponte de Novembro de 2007.


(na foto a torre de vigia de entrada do porto de Valetta, o Porto Grande, com olhos e orelhas esculpidas, para bem ver, e bem escutar os inimigos que vêm do mar !)


Expliquemo-nos: A Malta não se vai de autocaravana.
Só por lá vimos uma caravana, e uma wolks antiga tipo Westfalia.



Mas aconteceu-nos o mesmo que já de outras vezes...a ocasião de juntar uma deslocaçao profissional e intensa, com a oportunidade de tirar umas horas para turismo.




Desta vez a viagem foi só de avião, e pontualmente de barco como se adianta, o que não quer dizer que não se possa numa viagem de autocaravana, ou de caravana, aproveitar para se visitar Malta....


De facto, numa visita terrestre à Sícilia, pode-se daqui -só os passageiros- viajar até Malta, como se explica abaixo. E assim, aqui fica a dica. Da Sicilia a Malta (Valetta) os modernos catamarans levam 9o minutos para vencer os 9okm de distancia, entre o Porto de Pozzallo, na Sícilia e Valetta, o Porto Grande. Depois em Malta ha tempo para ver o essencial...uma volta de barco pelos dois portos, o de Marsamxetto (com a mesma raiz fenícia de Marsa -porto- como Marsalla na Sicilia, e Marselha em França) e o Porto Grande, com um periplo terrestre e a pé em Valetta, em especial a zona da upper Baraka e da Catedral de São João, e eventualmente de autocarro ate Mdina, a cidade silenciosa, pela ausencia de carros. Para os mais abonados, ha ainda o hidroavião, e a possibilidade de sobrevoar a Ilha de Comino e a Ilha de Gozo, que com Malta fecham o arquipélago das tres ilhas.

Ora bem em termos de crónica, ela aqui vai:



Vimos o gato maltês, pequeno, enroscado numa arvore a entrada da arabizada Mdina (proximo aliás da vila de Rabat). Foto de prova ao lado...



mas não vimos Corto Maltese. Vimos sim, e com gosto, as armas dos três Grão Mestres portugueses, da Ordem de Cavalaria de Sao João, depois Ordem Soberana de Malta, a Capela portuguesa dentro da Catedral de São João, a Ilha Manuel (denominada assim pela fortaleza nela construida pelo GM Manuel Pinto Fonseca, o plácio mandado contruir por este mesmo GM (hoje gabinete do Pimeiro Ministro).


Mas vamos por partes:
Houve três Grao Mestres portugueses cujas armas constam da foto de brasões:




Luis Vasconcelos de 1622 a 1623
Antonio Manuel Vilhena de 1722 a 1730
Manuel Pinto Fonseca 1741 a 1773



Agora... as voltas e reviravoltas foram as seguintes:

Chegada a uma quarta feira pelas 20h em voo da Air Malta proveniente de Zurich. Jantar no Hotel Vitoria em Sliema, e passeio nocturno pela marginal.

Na quinta, passeio turistico de boas vindas, de meio dia, a Valetta e Mdina. Excelente! e de tarde de 5F, 6F, Sabado, todo o dia, reuniões de trabalho.

Domingo, dia de regresso e sntes do avião, um mini cruzeiro de 1,30h, por cerca de 16 euros, pelos dois portos e golfos do Grande Porto e do Marsamxetto...excelente, num dia de Sol e temperatura veranil.

Destaques....o peso histórico de 7000 anos,
o Palacio dos Grão Mestres Portugueses,
o simbolismo das 8 pontos da Cruz de Malta (uma de cada país de origem dos cavaleiros, logo, uma das pontas identifica Portugal)
a Capela Portuguesa dentro da Catedral de São João, (ver no you tube)



o nicho da escultura de NS de Fatima e dos três pastorinhos na Igreja de Sliema,
a Torre e forte de vigia de Sliema a relembrar loginqumanete a nossa Torre de Belem,
o jantar com os mini carpaus fritos ou carapaus peninha...
a beberragen dita laranjada, mas com ervas azedas, de fabrico local Kinnie,
o sabor inacreditavel da agua de torneira, toda dessalinizada (não há agua potavel natural)
o vinho de Malta, porduzido e engarrfado em Malta, mas com uvas imporatdas de Itália...
os embutidos de marmore multicolor de tumulos e memorais no chão das igrejas,
o alto valor cambial da lira maltesa LM, cerca de 2,35 em €€, a terminar em 31 de Dezembro
os balcões das varandas em madeira ditos arábicos, e a relembrar as mile uma noites,
o parque automovel, antigoe modesto e os autocarros muito retro, de interesse turistico,
as carruagens puxadas a cavalo em Valetta e em Mdina,
as inciais NC e a cruz de Malta dentro da Catedral de São João
A imponência das Fortificações militares, e dos hospitais do Lazareto, Bighi e de Mdina